Pedido de casamento

Dani & Diogo – um pedido de casamento em meio ao Salar de Uyuni!

O post de hoje é um pouquinho diferente! Essa história ainda não chegou no altar, mas quando descobri como foi o pedido de casamento da Dani – vi o vídeo que eles fizeram e postaram no instagram – não poderia deixar de compartilhar com vocês aqui.

A Dani e o Diogo namoram há bastante tempo e se conhecem há mais tempo ainda, então o pedido não poderia deixar de ser especial. Aconteceu durante uma viagem, que a primeira vista, não tinha nada de romântica! Inicialmente, pensei em escrever um post editando o relato que recebi da Dani, mas, enquanto escrevia, percebi que tudo ficava melhor nas palavras dela, afinal, é exatamente como aconteceu! Então decidi deixar vocês e a Dani, como se fossem amigas conversando. Segue o relato do pedido, que foi a coisa mais linda:

um pedido de casamento inesperado no salar de Uyuni

Essa era para ser mais uma daquelas viagens de férias, típicas de choque de cultura e história. Mas ela foi muito mais além! Não foi só mais uma viagem, e sim, a viagem que marcou a nossa história.

Sempre foi nosso sonho conhecer Machu Picchu e quando surgiu a oportunidade, decidimos estender a viagem para Bolívia e Chile, mais especificamente fazer a travessia do Salar de Uyuni e chegar até o Deserto do Atacama. Sabíamos que seria uma viagem bem roots, daquelas de passar perrengue e frio, pois estaríamos viajando em pleno inverno e passando por povoados com pouca estrutura.

Inicialmente iríamos viajar início de Julho, mas por conta da minha pós, decidimos viajar no fim de Julho e início de Agosto. Foi então que percebi, depois de um tempo, que estaríamos viajando quando estivéssemos completando 8 anos desde a primeira vez que ficamos (01/08) e completaríamos 7 anos e 11 meses de namoro no dia 03/08. Logo minhas anteninhas ficaram ligadas, já que já tínhamos união estável e já estávamos vendo apartamento. Eu fiquei na expectativa que ele fosse fazer o pedido no dia 3, pois tudo na minha vida tem o número 3 envolvido e ele sabia disso!

Mas não fazia ideia de onde estaríamos no dia 03 e o que iríamos visitar, pois não saímos do Brasil com a travessia do Salar comprada. Decidimos ver essa parte da viagem em Uyuni, uma vez que seria muito mais barato. Então fui com nenhuma ideia de como seria o pedido na minha imaginação. É claro que a gente vai com a unha pintada, preparada pra tirar foto com o Anel, mas depois de alguns dias de viagem, não tem esmalte brilhoso e bonitinho!! Hahahah

Depois de conhecer Peru, deslumbrada com toda as maravilhas visitadas, após alguns dias bem cansativos, com voo cancelado, cansaço devido a altitude… chegamos em Uyuni na noite do dia 31/07. Eu nem tinha notado em que dia estávamos, pois era uma viagem tão intensa, com tantos acontecimentos, que eu sequer lembrava de um possível pedido de casamento. Foi nessa noite bem corrida e fria, logo ao chegar, que saímos a procura por agências e o melhor pacote para a travessia…

Conseguimos encontrar uma agência e nela fechamos um passeio noturno para aquela mesma noite. Iríamos ver as estrelas e o nascer do Sol na parte que estava espelhada do Salar! Por sorte, havia nevado na semana anterior e a neve derretida possibilitava o efeito espelhado que todos os turistas desejam ver (o que é muito difícil essa época do ano). Voltamos para o hotel correndo para descansar, pois acordaríamos as 3am, e muito animados, pois conseguiríamos ver o espetáculo tão desejado.

As 3:30am saímos do hotel rumo ao Salar. Éramos nós dois, um americano, dois coreanos e um fotógrafo que os coreanos contrataram para tirar foto com câmera profissional, pois as estrelas não saem na câmera do celular (mais especificamente do IPhone, mesmo ele sendo o 8plus). O que não sabíamos, e ficamos bem frustrados. Mas a nossa sorte é que estávamos com turistas Coreanos bonzinhos, que sempre tem aquela tecnologia melhor que a sua em mãos!

Quando ficamos sabendo o preço que o fotógrafo cobrou para as fotos, logo desistimos da possibilidade remota de ter uma foto profissional legal com as estrelas! Mas o Coreano gentilmente com o seu celular Samsung tirou um monte de foto nossa que dava para ver um pouco as estrelas (isso sem nem pedirmos. Fofo né? Talvez ele tenha ficado com pena que estávamos com IPhone e a câmera do celular não pegava uma poeira de estrela)

Quando chegamos no Salar, usando aquelas galochas para não pisar com o próprio sapato na água gelada, ficamos deslumbrados com tanta beleza e o céu todo estrelado refletindo na água, porém, congelando. Levamos para viagem uma bota específica para frio e ela era impermeável (tolos, pegamos a galocha da agência que não era nem térmica). Conclusão, os pés quase congelaram, Diogo ao chegar no hotel, não sentia um dos dedinhos do pé! Era MUITO frio! O único lugar para nos aquecer, no meio daquele deserto todo de sal coberto de água (e frio provavelmente de -10 graus ou menos) era o carro.

Pouco antes do nascer do Sol, depois de algumas fotos, estávamos dentro do carro se esquentando, quando um dos Coreanos entra no carro dizendo que estava precisando urgente ir no banheiro! (Amigo?! não tinha banheiro ali no meio daquela imensidão!) Foi então, que o guia teve que ir até o hotel do coreano para ele ir ao banheiro!

Obviamente não íamos acompanhá-lo, correndo o risco de perder o espetáculo do nascer do sol. Conclusão, ficamos sem abrigo para se esquentar por mais de 1 hora no meio daquele deserto todo, com os pés literalmente dentro da água, com a luva que não dava conta de esquentar a mão e só rezando para o coreano fazer as suas necessidades rápido para o carro voltar logo.

Começou a nascer o Sol! UAU!!!! Que espetáculo, maravilhoso, encantador e FRIO! Fizemos várias fotos, os coreanos com os meninos fazendo varias vídeos legais e eu só pedindo para o carro chegar logo entre as pausas das fotos.

Até que avisto o carro chegando e aí pude dar graças a Deus, pois podia tirar a bota e tentar esquentar os pés, pois eu já quase não estava sentindo eles! Logo entrei no carro e os meninos ficaram tirando foto! Até que uma hora, o americano, super simpático, me chamou para participar do vídeo que eles estavam fazendo porque aquela era a hora boa, pois o sol estava muito legal na filmagem.

Coloquei as botas de novo, o cachecol e as luvas, que àquela altura já não adiantava muito, e fui fazer o vídeo! Meio sem entender como seria a dinâmica do vídeo o Diogo ia me guiando sobre o que eu deveria fazer.

Naquela hora eu só pensava “que lindo esse lugar, que momento único, esse vídeo vai ficar muito legal… cara… que frio!” Foi então, que em um momento ele pede para eu andar na frente e alguns segundos depois ele me chama! Meio sem entender eu viro e eu só vejo aquela caixinha e ele se ajoelhando…

Naquela hora foi como se me faltasse o ar, as lágrimas e o sorriso saíam espontaneamente, sendo um mix de alegria, surpresa, aquela mini taquicardia, porque ninguém é de ferro! E apesar de “esperar” eu não estava esperando naquela hora, naquele dia, naquele lugar… era tanta coisa maravilhosa que estávamos vivendo que aquela minha expectativa pré-viagem, nem passou raspando na minha mente durante aqueles dias… foi lindo, foi único!

Na hora é como se seus olhos fizessem um efeito de “foco”, olhando só para nós dois e como se o resto não existisse! Depois de passar aquele segundo ímpar, a gente volta em si e percebe ao redor o que estava acontecendo! Quando eu olho, está o americano abaixado tirando foto e o coreano fazendo vídeo pelo seu Samsung! Todos com o sorriso de orelha a orelha, compartilhando aquela alegria junto com a gente! Isso tudo combinado enquanto eu estava dentro do carro me esquentando!

No final, tivemos fotos lindas de um momento especial e um vídeo muito legal! Algo que não estava em nenhum dos planos de pedido que o Diogo tinha feito! E calhou de ser exatamente no dia 01/08 (quando completamos 8 anos desde o primeiro encontro).

– Dani Espíndola

Amou a história da Dani e do Diogo? Então vem ver o vídeo do pedido:

O vídeo do pedido!

Leave a Reply